Inscreva-se !

Coloque seu e-mail aqui!:

Entregue por:FeedBurner/Cidadão Araçatuba

27 de fev de 2011

Visite Araçatuba! Antes que...




Tenho observado a algum tempo na cidade, carros com o adesivo acima.

No começo face a revolta e a insatisfação por estar presenciando o abandono da cidade dia-a-dia, confesso que até achei engraçado, sarcástico, mas engraçado.


A coisa tomou vulto, agora vejo muitos veículos com o famigerado adesivo, já estava aborrecido com essa campanha, quando essa semana ofereceram-me gratuitamente o adesivo para colocar no meu carro também, indignei-me!

Começei a raciocinar e cheguei a conclusão que os mentores da campanha não se deram conta da mensagem por trás da indignação. Sim, porque uma coisa é a cidade estar abandonada, sem nenhuma perspectiva de melhora face a inércia da administração municipal, outra totalmente diferente é nós moradores estando aqui, morando aqui, deixarmos isso acontecer!


Dá para perceber a diferença?

Quando você elege mal, você sofre as conseqüência da escolha, na vida é assim, tudo tem conseqüências, mas elas podem ser atenuadas, bastando apenas que VOCÊ se mobilize.



A intenção do adesivo, da campanha até que é boa, denota a insatisfação dos moradores mas ao meu ver o foco tá errado, ALGO SÓ ACABA quando NINGUÉM cuida dele!



De repente estamos assinando nosso atestado de incompetência também!

Pois, se além de elegermos errado não fizermos nada pela cidade, dentro dessa perspectiva, é claro que ela acabará.

Porque não pressionamos os vereadores nas sessões de segunda-feira, ou  mesmo em seus gabinetes para que eles façam a “máquina administrativa” funcionar? Porque?
Porque adesivar um carro é mais fácil!

Porque não podemos nos organizar e na rua da nossa casa mesmo não jogamos um pouco de terra, massa de cimento que as vezes temos sobrando nos buracos, ao invés de vê-los aumentar?

Agora imagine a seguinte situação; um estranho chega, vê a situação da cidade e seus moradores dizendo através de adesivos em seus carros, que a cidade vai acabar, qual a impressão que ele terá do POVO da CIDADE?


Acredito que será a pior possível! 
E se esse estranho for um empresário que PENSAVA em instalar-se e investir aqui? Já pensou? Pois é!


Porque ao invés de colocar um simples adesivo no carro, não nos organizamos, fazemos passeatas, movimentos sociais para mobilizar os moradores, os lideres de comunidade e aí então compareceríamos em massa á Prefeitura para de forma democrátiva, ordeira, e respeitando a Lei, exigir as reformas necessárias.


Porque não fazemos isso? 
Porque adesivar um carro é mais fácil!


A nossa falta de vontade, nossa preguiça mental em acompanhar a vida política da Cidade, Estado, País é muito antiga, já está arraigada em nossa sociedade por isso ainda nosso país está  em desenvolvimento!

Não queremos assumir a nossa culpa, nas escolhas erradas, pois acreditamos que o político depois de  eleito, tem a responsabilidade de fazer algo pela cidade.


Fica a pergunta e se o eleito não fizer? Como é o caso em questão, fazemos o que?

Adesivamos o carro!



Deu uma olhada no congresso? Não melhor ainda, acompanha a sessão da câmara local? Viu quem está trabalhando? E quem está atrapalhando? Tem acompanhado os jornais locais?

Alguém preenche seu cheque depois que você o assinou em branco e longe dos seus olhos?

Pois se você é uma pessoa assim, devo dizer-lhe que você corre um sério risco de ter muitos problemas na sua vida, e guardada as devidas proporções, votar é isso! 


É um cheque em branco por nós assinado, e depois de entregue a outrem, teremos que pagá-lo! 


Porém, isso não impede da gente cobrar, fiscalizar, reivindicar, exigir, e até mesmo AGIR!

Mas o que a gente não pode, é acreditar que uma brincadeira boba, um protesto inócuo, sem sentido nenhum vá melhorar o estado de coisas em nossa cidade!


A nossa cidade é boa, relevo, topografia, temos muitos atrativos, o que não tivemos ainda nos últimos anos foi uma administração municipal que realmente goste da cidade! Aliás, devo dizer que isso também é FRUTO DAS NOSSAS ESCOLHAS!


O fato é que a população deve ser mobilizar, tem que cobrar e mobilizar-se é estar prontos para "arregaçar as mangas", afinal as cidades são dos cidadãos!


Pense nisso! Ou ... 
Acabaremos assim, usando o famigerado adesivo, no caso, metafóricamente falando é claro!


Nome Científico: Cidadonis-Bananonis, Araçatubensis com fruto.


















20 de fev de 2011

Na sua cabeça, qual é a representação do Divino?

Imagem retirada da internet,  refere-se á Buddy Crhisty (Cristo Amigo).
Imagem apresentada no filme Dogma-1999.
site: http://store.twistedgrins.com/storefrontprofiles/DeluxeSFItemDetail.aspx?c=0&i=190192976&sfid=105990&sid=1

Lembro-me quando criança (9 ou 10 anos), tinha o hábito de ficar balançando na área dos fundos da minha casa, era uma área pequena, talvez uns 10 m2 onde além do balanço, tinha um tanque de lavar roupa e esse balanço era preso a uma vigota mais ou menos no centro da área. 

Passava ali um tempo agradável, me divertia muito. 

Minha mãe lavava as roupas no tanque, e na grande maioria das vezes eu  acompanhava seu trabalho ao lado,brincando, balançando. Sempre fui muito apegado a ela, conversava muito éramos muito amigos, éramos porque ela faleceu!  Não preciso dizer o quanto a respeitava e a recíproca era verdadeira. 


As vezes eu exclamava:
-Mãe em 2000 e tanto eu vou ter tantos anos e ficava sucessivas vezes fazendo essas contas!


Ela dizia:
-Nossa filho é mesmo!
-Quando eu casar não sei se vou querer filhos!
-Você não sabe a alegria que é tê-los, ela dizia e ria muito!
Dentro dessas divagações eu perguntei a ela um dia:

-Mãe, para você como é Deus?

-Meu filho, é pecado só de pensar nessas coisas! 

Minha avó e avô eram evangélicos, meu avô inclusive, fundador de uma comunidade religiosa em minha cidade, super tradicionais, levavam a bíblia ao pé da letra. Minha avó vinha sempre nos visitar, moravam alguns quarteirões da minha casa, meu relacionamento com eles também era muito bom.

Minha avó falava-me sempre de religião, da importância de seguir uma, eu escutava, já meu avô falava sobre Portugal, da sua infância, contava-me sobre o meu bisavô, era um fanfarrão, tinha estória para tudo.


Minha mãe não era evangélica, meu pai não seguia a religião dos meus avós,então eles acharam por bem não empurrar religião, goela abaixo de ninguém em casa!


Numa  dessas visitas, onde minha avó veio sozinha, tomei coragem e perguntei a ela:
-Vó para a senhora quem é DEUS?
-Tá vendo! Se o seu pai freqüentasse e  mandasse você para a igreja, você saberia! 
É o criador de tudo meu filho, devemos sempre obedecer a sua lei, pois é a única maneira de entrarmos no céu! Deus não gosta de crianças mal-educadas e que não temem á ele!

Fiquei morrendo de medo, como é que eu entraria no céu? Até agora nenhum adulto (que eu imaginava) ser sabedor de tudo soube me explicar quem é DEUS, como é que eu terei que saber o que fazer para entrar no céu? 


 Ih... lascou! 


No bom sentido é claro, depois disso minha avó falou com meu pai e ele "deixou" eu frequentar a igreja dos meus avós por longos 7 meses! 
Tudo bem que eu me interessei por uma menina muito bonita, que freqüentava a igreja; branquinha, olhos claros, cabelos claros, um pecadinho !

Depois de 7 meses tinha desistido da igreja e da menina, não exatamente nessa mesma ordem!

A dúvida persistia, fui ficando mais velho, agora estudando e avaliando a Bíblia, e sempre que podia tentava perguntar aos esclarecidos qual a visão deles do criador, várias foram as opiniões coletadas, sobre o  céu, terra, inferno, alma, algumas visões mais "alegres", outras nem tanto!

Anos mais tarde cursei o ensino técnico numa escola “de padres”. 

Muito rígida e cujos padrões educacionais são excelentes! Tínhamos um padre-coordenador,  gente boa, na faixa de  35 anos por aí, (na época eu, pré-adolescente), mas muito severo  e obviamente omitirei seu nome, chamando-o apenas de padre. 

Um dia, matei as minhas aulas e fui a capela, adorava mexer na bateria que ficava na igreja, e as vezes, distraia-me, quando penso que não, sou pego em flagrante delito, e o padre coordenador me perguntou:

-Menino o que você faz aqui?
-Eu fui tomar água e vim aqui!
-Fazer o que disse o padre?
-Hã ... Padre o senhor conhece DEUS?
-O que? Perguntou o padre.
-É ... Deus retruquei!
Deus é o criador do céu da terra, de tudo que há sobre e debaixo dela! Ora quem é Deus? Volte para sua sala!
-Voltei!

Comecei a ler, pesquisar, descobri Deus em vários lugares, nas atitudes de algumas pessoas, e presenciei também a falta dele em muitos outros lugares, e principalmente no coração de outras pessoas.

Me disseram que DEUS estaria nos lugares bons, onde as pessoas se respeitam, comungam da mesma idéia, se ajudam, descobri também que DEUS pode estar ao seu lado no seu quarto, na sua mente. 

E descobri também que toda a redenção, e culpa residem em Deus, porque ora ou ELE quis, ou ELE achou melhor assim!

As religiões difundem imagens, dogmas, crenças para que a presença Dele seja por nós respeitada, algumas até querem que nós o temamos!

Fica uma pequena reflexão:


-Para você quem é Deus? 


No filme Dogma, que é uma comédia polêmica antiga, (1999), em determinado momento dois anjos estão estudando uma possibilidade de voltarem ao Éden, pois foram de lá expulsos por Deus. 


A cena que editei é quando o anjo Loki - interpretado por Matt Damon, extremamente astuto, convence uma freira a largar o hábito, colocando a ela questões existenciais que a religião não a preparou para responder. 


Em seguida o anjo Barterbly - interpretado por Ben Aflleck tece alguns comentários sobre nós (seres humanos) á Loki, que por ser o anjo da morte não entende muito os seres humanos, sendo que, a sua missão é eliminar os pecadores.


Não quero dizer que essa  ou aquela religião têm falhas, aprendi na verdade que todas tem! 


Mas as dúvidas que surgiram na cabeça dela (da freira), poderiam muito bem ser as que ainda não foram totalmente resolvidas na cabeça de uma criança, e que a essa altura do campeonato transformou-se em um  adulto.


Não seria por exemplo, o seu caso?


Abaixo a cena que falei, por favor, divirtam-se, a cena é curta, mas serve acredito, para refletir!





13 de fev de 2011

Amigos virtuais. Tê-los ou não tê-los? Mas o que fazer sem eles?

Imagem da internet.
Amigos Virtuais



A internet tem suas vantagens, não serve apenas para diversão, em alguns casos até informa,  dependendo é claro do conteúdo que você procura. 


É uma revolução na comunicação global e isso ninguém discute, têm revolucionado conceitos, acrescentando conhecimento, alguns inúteis devo dizer, mas acredito que na maioria das vezes encontramos aquilo que procuramos, logo ...


As redes sociais estão aí, tornaram-se uma febre mundial, hoje, a grande maioria da população tem uma série de ferramentas para se comunicar, (msn, eBuddy, skype) fazer amizades, (orkut, twitter, facebook) trocar informações, enfim, realizar virtualmente aquilo que a alguns anos atrás só era possível fisicamente. 


Alguns até exageram, criando verdadeiros "avatares" (para nós o significado de avatar seria uma representação virtual da pessoa real, no link o exato significado do termo!), existindo, comunicando, vivendo, para o mundo apenas virtualmente, sendo totalmente insociável na "vida real".


Sempre fui uma pessoa extrovertida, falante, daqueles que as professoras (es) do primário punham para ler o jogral, apresentar peças teatrais e jurar a bandeira, e sempre davam broncas, pois conversava muito!


Cresci assim, curti minha infância, da qual me recordo com muita alegria, fui criança mesmo, até onde puder ser!


Começei a adolescência, trazendo muito dessa infância feliz, sofri para burro, pois nessa idade já existem "armadilhas" que os menos preparados sempre caem, e sofrem! 


Imagina um adolescente com os hormônios á flor da pele, achando que tudo é fácil, sem muitas responsabilidades e ainda lidando com um mundo onde nem sempre as pessoas estão a fim de "brincar". Responsabilidades, obrigações, cobranças!


Mas a gente cresce, com esse desenvolvimento nos relacionamos, de onde surgem as decepções, as pessoas falsas, as falsas amizades (são coisas parecidas, mas muito diferentes na prática!) depois de muitas cabeçadas e aprendizado a gente aprende a usar o famoso mecanismo de defesa, ficando sempre em alerta, sempre tentando ver o “outro lado”, a outra intenção, das pessoas que se aproximam de nós, para tentar prever suas ações e minimizar o impacto em nossas vidas! 

Vem a racionalização, os julgamentos às vezes precipitados, os erros, os acertos, e como tem que ser, continuamos aprendendo. Todo mundo com certeza já passou por isso na vida, até porque ninguém nasce adulto.


Até algum tempo atrás “amigos virtuais” eram uma  possibilidade distante, via isso com uma certa reserva, não acreditava mesmo, se pessoalmente nutrimos certas decepções imagina vituralmente, pensava!


Com a minha inserção nessa grande  torre de babel que é a internet, após algum tempo, algumas decepções e alegrias, constatei que isso seria possível, que podemos fazer grandes amizades e nos relacionarmos com pessoas legais, sinceras que tem muito a dizer e a nos ensinar. Foi uma grande e feliz surpresa!


Devemos ao meu ver seguir uma regrinha de ouro:


-Verificar a compatibilidade, a coerência entre o que as pessoas escrevem e como se relacionam, porque uma coisa é passar uma idéia sobre a personalidade, a outra e "ser", é acontecer quando se relaciona com o outro.


Tenho visto pessoas escreverem uma coisa nos textos e ao se relacionarem, parecem outra pessoa! 


Existindo uma diferença entre o que a pessoa escreve e o que ela é, ao meu ver denota uma personalidade complicada, devemos assim ter certas restrições, mas considero que ainda assim podemos aprender com isso, afinal qual de nós pode atirar a primeira pedra, julgar alguém! Somos todos falíveis, não é?


Apesar disso, tenho conhecido pessoas no meio virtual, que digo sem medo de errar, valeu muito a pena só não vou nomear as novas amizades que me fizeram mudar de opinião e deixaram o meu dia mais feliz, pois são muitas, e seria uma baita indelicadeza!

Apesar disso, aprendi e deixarei aqui essa observação; ainda prefiro o aperto de mão, um abraço, a conversa "olho no olho", o convívio diário, mas quem sabe a gente depois de agradáveis e infinitos "papos virtuais" por uma dessas felicidades e coincidências da vida, a gente não se "topa" e agora então, frente a frente se apresente e diga:


-Oi eu sou o Paulo - Cidadão Araçatuba, quem é você?


-Nossa! Prazer imenso em conhecê-lo (a) agora, e pessoalmente!


"O Encanto da vida depende das boas amizades que cultivamos." - Malba Tahan.




Biografia de Malba Tahan.
Ao criar seu pseudônimo, Júlio César criou também um personagem: Malba Tahan. Este escritor, cujo nome completo seria Ali Yezid Izz-Eddin Ibn Salim Hank Malba Tahan, teria nascido na aldeia de Muzalit, próximo a Meca, a 6 de maio de 1885. Teria feito seus estudos no Cairo (Egito) e Istambul (Turquia). Após a morte de seu pai, teria recebido vultosa herança e viajado pela China, Japão, Rússia e Índia, onde teria observado e aprendido os costumes e lendas desses povos. Teria estado, por um tempo, vivendo no Brasil. Teria morrido em batalha em 1921 na Arábia Central, lutando pela liberdade de uma minoria local.Seus livros teriam sido escritos originalmente em árabe e traduzidos para o português pelo também fictício Professor Breno Alencar Bianco.


E quando não tinha internet? A minha geração conheceu a vida  mais ou menos assim!



6 de fev de 2011

Meditar é preciso!




Ontem quando lia o jornal local, o Folha da Região pude ver os estragos (clique aqui) que as chuvas ocasionaram, em nossa cidade, não foi surpresa, esses são alguns lugares dentro das áreas de maior tráfego uma ou outra foto da periferia, e sei que seria necessário a edição inteira do jornal para relatar a real situação, e isso me traz ao cerne desse post.
Explico:
-Nós araçatubenses temos nos últimos 24 meses exercitado a paz interior e dessa maneira, desenvolvendo em nossos cérebros a técnica milenar da meditação. muito usada pelos asiáticos, povo conhecido pela inteligência, sensatez, paciência e pelo auto-controle.

Não que isso seja uma coisa ruim, não! Sensatez, paciência e controle mental são ótimos. Mas o que dizer disso quando colocado em prática até quase a exaustão, formando a seguinte equação: 
-O povo aguardando e a administração local protelando, fazendo pela metade, ou não fazendo. Isso vai gerando uma ansiedade, uma revolta sem fim! 


Não é mole, não! Inspira... Expira ... Isso, Calma!

Quem é de Araçatuba conhece o drama da Rua Aguapeí, que liga o centro de Araçatuba à um luxuoso condomínio daqui, e continua fazendo a ligação da cidade á alguns bairros rurais periféricos um dos quais perdeu a ponte que ligaria o bairro a cidade (está nas fotos do jornal acima!).

Além dessa destinação ela também permite ao visitante que trafega pela rodovia Mal. Rondon, SP-300, entrar na cidade, levando-o rumo a um dos bairros periféricos ou ao centro da cidade.

É muito movimentada, pois como disse escoa o trânsito centro/bairro, e próximo ás 18:00 hs seu tráfego é intenso, pois os trabalhadores que trabalham no centro deslocam-se para suas casas, assim como os trabalhadores que atuam no parque industrial fazem o caminho inverso.

Recentemente foi veiculado na imprensa local que haveria uma adequação na via, para dar mais fluidez ao tráfego, pois além de intenso, o trânsito é confuso e complicado.

Tanto que o jornal local Folha da Região noticiou que nas primeiras semanas de Janeiro/2011 a mudança seria definitiva, publicou o jornal:

“Apesar de os testes iniciados hoje (27) se estenderem até quinta-feira (30), a nova sinalização do trânsito da rua Aguapeí, sob o pontilhão da rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Araçatuba, deve se tornar definitiva já na primeira semana de 2011. A previsão é do secretário de Mobilidade Urbana do município, Paulo Arcanjo da Cruz, que demonstrou satisfação com o novo sistema de escoamento do tráfego no local.
Cruz acredita que, mesmo que o trecho alterado seja pequeno, será o suficiente para dar fluidez e evitar congestionamentos no local. Basicamente, o tráfego de veículos sob o viaduto passa a ser escoado por duas pistas e não mais em uma só, com sentido duplo".

SERGIO GUZZI. 
Segunda-Feira - 27/12/2010 - 22h40


Vídeo do local abaixo.




Pergunte se algo aconteceu? Não, nada aconteceu!


Como ando muito de bicicleta (meu hobby depois do blog!), já presenciei várias situações de extremo risco nesse cruzamento,inclusive um caminhão que descendo pela marginal (que dá acesso á cidade para quem vem da SP-300 (MS/SP), por muito pouco não atropelou uma senhora com uma criança no bagageiro da bicicleta, motoristas afoitos que não param quando deveriam, e por ai vai...
As pessoas às vezes comentam:
- Não basta apenas criticar, tem que participar! 
Respondo:
-Fazer o quê? Só se eu ficar lá dando uma de guarda de trânsito!


Se existem muitas coisas a serem feitas, deve prevalecer o bom senso, fazendo as imediatas, as mais urgentes. No caso em questão, pintar umas faixas no chão, mudar algumas placas, será que demora tanto?


Vamos esperar mais um pouco, trabalhar nosso cérebro para que ele se acostume com o ritmo demorado, lento, quase parando dos responsáveis pelas secretarias municipais, que acredito, devem também praticar meditação, afinal de contas pressa para que não é?


Para os que se enquadram no perfil acima. achei uma frase de Art Buchwald (colunista Americano) que servirá para descrever esse tipo de "administradores""


"Grupo de trabalho é um batalhão de despreparados, reunidos por um desinteressado, para fazerem projetos desnecessários".


Enquanto isso a população vai esperando, esperando, ... Até quando?

Está explicado então!

Blogueiros unidos participam e divulgam!

Blogueiros do Brasil
Cia dos Blogueiros

Clique, conheça nossa história.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores diHITT

Seguidores

Leve o Cidadão com você!


Total de visualizações desta página.

Plágio é crime! Quer copiar? Não custa nada pedir, obrigado!

IBSN: Internet Blog Serial Number 21-08-1966-11